quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Camila.

E então, de repente ela viu-se sozinha, sem ter pra onde ir, sem ter pra quem correr. Mas quem se importava? Ninguém... Era tarde demais para se desculpar. Tarde pra mudar aquilo que havia acabado de cometer: assassinato ao amor. A essa altura, Camila encontra-se em uma cama de hospital, esperando que a visitem, esperando receber flores daquele que acabou com a sua vida. Mal saberia ela, que jamais, jamais receberia nem sequer um bilhete e, iria pro tumulo sem um pedido de desculpas.

4 comentários:

.......Zé Colmeia disse...

não entendi direito mais parece que ela se ferrou legal xD

http://zcolmeia.blogspot.com/

Tami Curi disse...

passado...grr!
me sinto atropelada por ele =/

Arlequim disse...

Pensa num texto bom?
É esse.
Não pq tem meu nome como titulo (claro que esse nome BELISSIMO ajuda..rs), mas ele tá muuito rox.
Parabéns Marinão.

Você recebeu um selo, depois passa no meu blog pegar. :]

Jonathan Alves disse...

Intenso e dramático uma combinação boa. Gostei!





http://jonathan-alves.blogspot.com/